sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Nobreza em ti

Descobri o doce amargurado em tua boca
Presença que transborda a minha unidade
Ah! Nobre homem,
Teus pés alcançaram minha estrada.
Nossos corpos enlaçados transmutam
A paz e a guerra
Do nascer ao pôr do sol.
A melodia marítima fonte de inspiração
Embala essa mestiça em sua mesura.
Quantos sóis percorri para construir
Os retalhos de mim?!
Há uma canção em meus ouvidos,
Ninguém mais a ouve
É ela a trilha da permuta de dias
Agora banhados de esperança,
Trazida por ti no final do solstício,
Onde o amor se desfez com as flores
Da estação.
E tu nobre homem, surge na aurora
Convidando-me a brindar mais
Um pouco de paixão.

4 comentários:

george araújo disse...

só no final do sosltício?
putz!
;)


beijocas
continue com os belos textos em 2010, viu!? rs
>>

Larissa Santiago disse...

retalhos de mim, isso me é muito familiar..

abraços

Carol Araujo disse...

É a primeira de 2010 que leio e comento. Nós já começamos o ano no "calor das emoções" diante do que vc escreve.
É pessoal, sempre! Desperta em mim a mulher que sou e a que ainda pretendo ser. Que está aqui dentro, digamos que apenas adormecida, esperando por um "ei, vem comigo, quero te mostrar algo novo".
Rosa, sou sua fã incondicional! Pois vc descreve de uma maneira que parece conversar conosco! Não é uma escrita de obrigatoriedade, mas de dentro pra fora.
Eu estava lendo e me embalando em cada verso. Esse envolvimento da relação entre os corpos, o trocadilho do calor que os corpos transmitem um em contato com o outro e o que a estação verão proporciona. Ah! Eu me empolgo. Os dois juntos então... ui! kkkkkk '
Adorei essa parte "A paz e a guerra
Do nascer ao pôr do sol." Uau!
Amo sua maneira totalmente diferente de descrever os sentimentos e como essa descrição é comum e entendida por quem a vive, sem precisar de dicionários.
Adoreiiii! Tb quero brindar a paixão por mais e mais outras estações!
Fica na paz.

Aragão disse...

Perfeito.....rosinha vc domina...hehe