segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Primavera

A primavera chega
Fica para trás o rastro cinza
Convertido no colorido dos dias luminosos
O nascer caminha para o morrer
Despercebido
É grande o burburinho das gentes
Nas cidades aquecidas pelo trabalho árduo
Coroado com o lindo final de tarde
A esperança sopra
Alivia as dores
As manhãs são belas
O desemprego as favelas a fome
Têm cores até o fim da estação.

Um comentário:

o campo dos girassois disse...

Há beleza na mudança das estações
se simplesmente as olhamos
sem refletir.
A dor está no pensamento.
O olhar é sempre puro
mas eu já não consigo ouvir meu
antigo coração.