quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Deserto

A nossa distância é traída
A união acontece em um desejo
Cego faminto de vida
As tragédias ou os clamores
Não chegam até nós
Estamos fadigados de tudo
Cada suspiro
Representa uma vitória
Comer beber decidir
Não é um ato vão
Viemos de tão longe
Do lugar onde o passado não se deixa recordar
Daqui o futuro não se deixa desvendar
Penso, se tu estás comigo
Ou se deliro acordada
Naquela calmaria mortificante em que me encontrastes
Havia desistido até de mim
E podia ver o mundo congelado
O frio percorre o meu corpo
Então sei que sonho no repouso finito
E a imagem que a mim se apresenta
É alucinação refletida no meu deserto
Calo te vendo sem conseguir senti-lo.

Um comentário:

avessodoavesso disse...

os desertos geralmente são enormes, asim como nossas alucinações...


bjão
>>