terça-feira, 13 de outubro de 2009

Poema 15



Me gustas cuando callas porque estás como ausente,
y me oyes desde lejos, y mi voz no te toca.
Parece que los ,ojos se te hubieran volado
y parece que un beso te cerrara la boca.

Como todas las cosas están llenas de mi alma,
emerges de las cosas llena del alma mía.
Mariposa de sueño, te pareces a mi alma,
y te pareces a la palabra melancolía.

Me gustas cuando callas y estás como distante.
Y estás como quejándote, mariposa en arrullo.
Y me oyes desde lejos, y mi voz no te alcanza.
Déjame que me calle con el silencio tuyo.

Déjame que te hable también con tu silencio
claro como una lámpara, simple como un anillo.
Eres como la noche, callada y constelada.
Tu silencio es de estrella, tan lejano y sencillo.


Me gustas cuando callas porque estás como ausente.
Distante y dolorosa como si hubieras muerto.
Una palabra entonces, una sonrisa bastan.
Y estoy alegre, alegre de que no sea cierto.



Pablo Neruda
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada

5 comentários:

Ricardo Dib disse...

Heeiinn?!

jorginho da hora disse...

Neruda dispensa comentários

Mil abraços !

Carol Araujo disse...

[b]Simplesmente encantador![/b]

Agora sei quem vc puxou nas descrições de detalhes, no tocar no sentimento. Os pequenos gestos que parecem não estar sendo notados, no entanto chamam atenção e provocam um um sentimento tão forte, que parece que nem é só por aquilo.
Gostei muito da última estrofe!

Marietta Barreto disse...

Bem, não li todas as poesias mas pelo pouco que li, continuarei lendo e desvendando, ou melhor, sentindo um pouco da profundidade poética, de Rosa, de Rosinha,rs! Como Carol, outra flôr me contou!
Recentemente descobri que sou curiosa, engrassado isso, afinal sô psiana e nunca tinnha relacionado uma coisa com a outra! Incrível, as vezes, precisamos ser surpreendidas com o olhar do outro, mesmo sendo uma característica nossa, ali, ali, estampada, tatuada na pele.
Neruda é assim, também pelo pouco que li, tautuado, sentido, profundo! Mas que as vezes, precisa que alguém nos diga, ou o interprete!
Quando agente consegue expressar sentimentos com palavras, bailamos com sentidos, nos revestimos de mágicos e até tiramos coelhos das cartolas, como boas ilusicionistas! Rs! Surpreendemos, por nos identificar e nos perceber através dos sentimentos do outro! O outro que é parte de nós, de mim, de você, o outro que nos une ao próprio interior meu, seu, nosso, deles!Rs!

Por enquanto é só!

Um forte abraço, e obrigada pelas contribuições ^^

Figueredo Dias disse...

Obrigada Marietta,e eu voltarei lá sempre que for possível.rs