terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Um Mantra

Eu já esqueci você
Era o mantra matinal.
Se não fosse a boca vermelha
O perfume impregnado por onde passo.
Repito o mantra para o esquecimento,
Eu sei, minha pele é que não entende
Pede o seu toque mais uma vez.
Reafirmo o mantra do desapego,
Num diálogo com o meu coração bandido.
Seu suor o teu jeito
Lembranças pontuadas pelo instinto.
Finjo ao repetir o mantra
A memória do meu corpo te guardou.
Em vão o mantra se esvai entre lábios
Resistentes à despedida há muito dita no silêncio.

7 comentários:

anapaulañbandi disse...

Eu tenho feito este mantra todo dia... o post mostra um lado chato da vida. Gostei.

Cynthia Gonçalves disse...

Que lindo!!! Parabéns pelo blog, adorei sua forma de se expressar com as palavras.

Quando tiver um tempo me visite hojesouassim.blogspot.com

Carol Araujo disse...

A briga entre razão e emoção é, para mim, interessantíssima. Nos convencer de que não queremos algo que nos deu/dá prazer torna-se quase uma tortura. E reafirmar o mantra, às vezes, acaba abrindo o espaço para as lembranças que queríamos não lembrar.
Ahh... "querer não é poder", fato.
Será que inventarão a pílula do "Eu já esqueci você" algum dia? Kkkkkk '

Vc é fantástica, por escrever de uma maneira tão pessoal! Não tem como não se identificar.

Jobah Gharozzi disse...

BonitOooooo! parabéns

Um simple estudante disse...

beloo blogg

Lianni disse...

Concordo com Carol,Rosinha!!!!
O mantra que repito hoje,graças a Deus,não é esse...espero não ter de usá-lo tão cedo!!!!
Que os anjos da boca mole digam amém!!!!!
:P

Maria Antonia disse...

Linda poesia. Parabéns pelo blog.