quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Uma lenda

Procuro há tempo o amor
Desconheço o seu físico
Não sei qual a sua língua
Ou mesmo a sua região de origem.
Colho depoimentos sobre o tal,
Devaneios soltos.
Carências adubadas na religião,
Na extravagância material,
No culto aos livros,
Na adoração a natureza,
E uma certeza curiosa em um Deus!
Procuro há tempo o amor
Exausta aqui estou.
Pistas furtivas me levam.
Descanso olhando ao redor,
Cansada sonho.
Procuro há tempo o amor
Quase desistindo ouvi:
Mulher - o amor não é palpável!
E pode se acomodar em todos os lugares
O ser amoroso é a sua forma.
Procuro há tempo o amor
A lenda urbana
Recontada em cada povo.
Procuro há tempo o amor
Procuro o inexistente
Destruindo o ideal,
Formulando uma mulher com cacos
Resistente a tempestades
De desafetos
Procuro há tempo o amor.

9 comentários:

Ane Rosa disse...

nossa muito lindo!!!

eu tb procuro a muito tp o amor!!

avessodoavesso disse...

procure o existente.

bjos
>>

avessodoavesso disse...

ñ
é o medo d ser feliz!


bjinhos
>>

Carol disse...

Oi linda, finalmente venho comentar. Parabéns pela inspiração e dom! Simplesmente espetacular.

Bjin.

jorginho da hora disse...

GOSTEI MUITO DO SEU POEMA. UM TANTO TELÚRICO, MAS BEM ESCRITO. REALMENTE GOSTEI.

Abraços!

jorginho da hora disse...

Nesse tipo de poema escrito na primeira pessoa A gente nunca sabe onde termina a ficção e começa a psicologia real do altor. E isso é muito instigante também.

Mil beijos!

jorginho da hora disse...

Passei aqui prá desejar feliz natal!

george araújo disse...

atualiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiza!

bjocas
>>

george araújo disse...

volta logo porra!

bjo
>>